<$BlogMetaData$>

segunda-feira, março 06, 2006

34. PALAVRAS DESCONHECIDAS

Foto disponível no URL: Assim

são palavras
que a minha imaginação ouve
como se o som das tuas palavras
soubesse distinguir

são as palavras que escreves,
que transfiguro em minha alma
como se a tua voz conhecesse

não sei quem és
nem o som da tua voz
sei que tens alma
alma de poeta
mas o meu poeta ainda não tem som
tem apenas palavras
que a minha mente escuta

Talvez o som esteja errado
talvez os meus ouvidos se enganem

mas oiço palavras
sonoramente suaves
que um amigo
me sussurava
no canto dos meus sonhos!
Escrito por Rita Inácio
Nota: Durante uma conversa, via messenger, a Rita Inácio escreveu-me este poema e decidi (com a devida autorização) publicá-lo, espero que tenham gostado.

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 16:14   5 REFLEXUS

5 Comments:

At segunda-feira, março 06, 2006 5:04:00 da tarde, Blogger Rita said...

Lido assim até parece um poema! :)))))))))
Digamos que é mais um retrato da minha alma

Beijinhos

 
At terça-feira, março 07, 2006 2:50:00 da manhã, Blogger Freyja said...

siempre hay palabras que envuelven
un abrazo y una buena semana

besos y sueños

 
At terça-feira, março 07, 2006 2:28:00 da tarde, Blogger Lyra said...

que bonito! que sentido.

 
At terça-feira, março 07, 2006 3:23:00 da tarde, Blogger Rita said...

Pedro!
Tens no meu blog um convite!
Sei que vais responder da melhor forma!

Beijos

 
At terça-feira, março 07, 2006 5:06:00 da tarde, Blogger heidy said...

:) A sonoridade das palavras está no que a nossa alma escuta. É ela que lhes dá sentido e melodia.

 

Enviar um comentário

<< Home