<$BlogMetaData$>

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

23. EFEMÉRIDE (do Lat. ephemeride)

Fonte: Efeméride

O vento parou
Um sentimento morreu
Um encanto que abalou
Uma vida que nasceu

Pisando cada calçada da rua
Rompendo a escuridão
Vives uma vida que não é tua
Que te põe em reflexão

Procuras o sol do dia
Só encontras a lua da noite
Procuras a alma que te guia
Só encontras alguém que te açoite

Um vagabundo te estás a tornar
Escravo do teu amor
Que te leva ao fundo do mar
Em sinal da tua dor

A flutuar à margem do teu ser
Tenta nadar noutra direcção
Novo rumo a converter
No sentido da solução

Rochas firmes queres subir
Para sentires o pleno
Uma vida a constituir
Um mar sereno...

Escrito a 22 de Novembro de 2005, 02:45
(Poema postado no blog NA ESCURIDÃO DA NOITE - 22/11/2005)

Etiquetas:

"DOMINUS VOBISCUM"
    Publicado por Pedro Nobre ás 00:10   1 REFLEXUS

1 Comments:

At segunda-feira, fevereiro 13, 2006 7:41:00 da tarde, Blogger palavras que escrevo said...

um lindo poema

sentido que me toca em rumo a outras direcções, um sentir o mar sereno como gosto

bela a tua escolha

beijinhos meus

lena

 

Enviar um comentário

<< Home